Ao utilizar este site, você concorda com nossa política de privacidade.

Notícias RTM

Organização cristã aponta aumento nos índices de fome, violência e morte entre refugiados

Lucas Meloni

Levantamento divulgado na semana passada pela World Vision International (Visão Mundial), organização cristã focada em trabalhos de ajuda humanitária,  informa que a vida de refugiados de 11 países apresentou índices preocupantes, em especial, nos últimos dois anos. A situação é mais crítica ainda para as crianças, segundo a WV.


Os dados apontados pelo relatório “Hungry and Unprotected Children: The forgotten Refugees” ("Crianças Famintas e Desprotegidas: Os Refugiados Esquecidos”) mostram que 82% dos refugiados não conseguem atender as necessidades básicas de sobrevivência das crianças com alimentação, moradia e acesso à saúde. Ainda de acordo com o levantamento, um em cada quatro refugiados perdeu algum familiar / parente próximo durante a pandemia da Covid-19.


A World Vision destaca a situação de alguns países com grandes deslocamentos de pessoas como Síria, Sudão do Sul e Venezuela. Cerca de 35% dos entrevistados (pais ou mães) disseram que seus filhos acabaram perdendo peso ao longo do último ano. 


Outro problema evidenciado pelo relatório é a questão da educação. “Durante a pandemia de Covid-19 famílias ao redor do mundo estavam preocupadas com suas crianças perdendo as aulas. Mas essa preocupação durou pouco para muitos, já que a maioria das crianças dos países mais ricos do mundo já retornaram à escola normalmente. Infelizmente, para milhões de crianças refugiadas, educação é uma fantasia do passado, que eles podem nunca mais retomar. Em vez disso, muitos enfrentam uma nova realidade de casamento e trabalho infantil. A injustiça é palpável”, disse Justin Byworth, diretor humanitário global da World Vision International.


Estima-se ainda que metade das crianças refugiadas não tenha acesso a abrigos seguros em zonas de conflito e que, pelo menos, 44% não contam com serviços de proteção.


Os números dão a dimensão da extensa gravidade do quadro dos refugiados. Na última segunda-feira, dia 20, foi o Dia Mundial dos Refugiados. Segundo relatório da ACNUR (Agência da Organização das Nações Unidas para Refugiados), lançado na semana passada, até o final de 2021, mais de 89,3 milhões de pessoas se deslocaram pelo mundo por causa das guerras, violência, perseguição e abusos de direitos humanos. Estima-se que metade dos refugiados seja de crianças.  


Com informações de World Vision e ACNUR

 

 

Compartilhe