Blog do Mulheres de Esperança

Favos de mel

Susie Pek

Se você é como eu, então, você ama conversar. Fala sério, nada como um bate-papo com gente querida, divertida, inteligente e profunda! Algumas conversas conseguem mudar nosso dia para muito melhor. E mesmo que a gente não tenha como conversar do jeito convencional, por videochamada ou por telefone, ou aquela conversa que vai rolando por mensagens de texto ou de áudio com pessoas queridas também é muito gostosa. 

 

Agora, existe um aspecto nessa questão de conversa que sempre me intrigou. Às vezes, uma prosa que começou super bem se transforma num diálogo desastroso quando um dos interlocutores escorrega nas palavras. As palavras têm um impacto profundo.  Em provérbios 18.21 lemos: “A língua tem poder sobre a vida e sobre a morte; os que gostam de usá-la comerão do seu fruto.” Esse versículo é um grande alerta, em especial, para os que gostam de falar. Ele me faz pensar numa pergunta bastante comum: “Se você pudesse comer suas palavras, sua alma seria nutrida ou envenenada?” Acredito que a resposta possa variar muito conforme o dia em que nos fazem essa pergunta. Em alguns dias nossas palavras vão nos oferecer uma nutrição e tanto, em compensação, em outros dias podem nos envenenar. A grande questão é que elas não afetam apenas quem as profere, mas principalmente quem as ouve.

 

Nos últimos tempos, as palavras têm provocado muitas feridas nas pessoas. Os noticiários trazem más notícias.  Os hospitais também. Os ânimos alterados mudaram o tom das conversas. Nunca o mundo esteve tão carente de boas notícias e palavras de ânimo. Entretanto, você e eu podemos dar nossa contribuição e espalhar doçura por aí.  Gosto muito do versículo que diz: “As palavras agradáveis são como um favo de mel, são doces para a alma e trazem cura para os ossos.” (Provérbios 16.24) A ideia de poder adoçar o dia de alguém e trazer cura de alguma forma é encantadora. Contudo, a boca fala daquilo que está cheio o coração. Se queremos ter palavras doces, precisamos cuidar do nosso coração. E a gente sabe que um coração cheio de Jesus é uma fonte de palavras que trazem cura.

 

Diante disso, posso te fazer um convite? Que tal tirarmos os próximos dias só para espalhar palavras agradáveis por aí? Elogie as pessoas que você admira, fale para seus familiares e amigos o quanto você os ama, compartilhe seus versículos bíblicos prediletos, diga para alguém que você está orando por ele/ela. Sua atitude vai fazer diferença!

 

No amor do Senhor,

 

Susie Pek – Coordenadora do Mulheres de Esperança RTM Brasil, América Latina & Caribe