Ao utilizar este site, você concorda com nossa política de privacidade.

Blog do Mulheres de Esperança

O Deus que me vê é poderoso

Susie Pek

Há uns anos vivi uma crise de invisibilidade que se transformou num marco importante na minha caminhada. Estávamos atravessando uma daquelas fases horrorosas em que tudo de ruim acontece ao mesmo tempo. Desde as coisas pequenas até as grandes. Apesar disso, o tempo e a vida não param, o que significa que estava exausta e sobrecarregada.  Foi então que percebi que era invisível! O jeito que as pessoas interagiam comigo deixava isso cada vez mais claro.  

 

Por essa ocasião, nosso ministério havia sido convidado para participar de um chá de mulheres. Dessa vez só acompanharia a Celina que seria a preletora. Pensa num sábado corrido! Precisei cuidar de algumas questões importantes pela manhã e quando cheguei em casa tinha apenas dez minutos para me arrumar. Não lembro de detalhes do tumulto daquela manhã, lembro apenas que estava me sentindo ainda mais invisível. Subi as escadas de casa e disse: “Senhor, até entendo que ninguém, nem mesmo o meu marido, me veja, mas não consigo entender que o Senhor não está me enxergando.” Não pronunciei mais palavra nenhuma, mas o meu coração clamou por socorro e alívio para meu cansaço.

 

No evento, uma das convidadas ia cantar uma música e, como introdução, compartilhou uma breve meditação que Deus tinha colocado em seu coração. Ela começou a ler uma passagem em Marcos 6 e parou num ponto que parecia ‘nada a ver’. Confesso que minha mente foi longe e em questão de segundos, meu coração peludo a criticou. Pensei: “Lá vem texto fora de contexto.” Segui atenta, porque queria saber o que sairia daquilo tudo.  Ela retomou a leitura e destacou um trechinho: “Ao anoitecer, o barco estava no meio do mar, e Jesus se achava sozinho em terra. Ele viu os discípulos remando com dificuldade, porque o vento soprava contra eles.” E para a minha surpresa o ponto dela foi: “Jesus estava longe dos discípulos em terra firme. Mas, ele viu que estavam remando com dificuldade e que estavam cansados! Não consegui conter as muitas lágrimas. Deus respondeu meu clamor e me disse que para ele nunca fui invisível. Ele estava atento à minha dificuldade de remar e ao meu cansaço e assim como fez com os discípulos, ele veio ao meu encontro.

 

A passagem ganhou outra vida para mim. Ela nos diz que Jesus assegurou aos discípulos que não precisavam temer porque era ele quem andava sobre as águas. O Deus que nos vê é todo poderoso, criador dos céus e da terra, capaz de aquietar o mar e o nosso coração!

 

No amor do Senhor,

 

Susie Pek - Coordenadora do Mulheres de Esperança RTM para o Brasil, América Latina & Caribe

Compartilhe